quinta-feira, julho 17, 2008

O Amor e a Individualidade!

A individualidade é necessária para o crescimento e melhoramento pessoal.
Saber que tudo depende de você e somente de você é que faz com que você reflita sobre o que está acontecendo em sua vida.

Permitir que o outro tente induzi-lo às suas vontades é deixar-se de lado.
Em se tratando do amor, este nobre sentimento, que antes de amar a carne, ama a alma do outro, é ainda mais delicada a compreensão.

Alguns confundem o amor, acreditam que tem o direito a cobranças, exigências. Mas o amor não é assim, o amor é a si mesmo e isso basta.
Ele é leve e natural, não faz sofrer, não leva à revolta, mas sim, a compreensão verdadeira de si mesmo e do outro.

Respeita a sua Essência e a Essência do outro. É capaz de permanecer ao lado, em silêncio ou na palavra, apenas pela presença, oferecendo o que há de melhor dentro de si... A compreensão, o carinho, o respeito, a total reciprocidade de sentimentos, sem jamais perder a consciência da individualidade.

Sim, dois inteiros que formam um Todo. Mas para isto acontecer, deve sim existir o amor verdadeiro. E para tal, é preciso ter o coração tão aberto, a ponto de amar a todos com respeito, sabendo que cada um tem sentimentos e desejos assim como você.

Sem enfeitar, sem manter o coração preso em mágoas ou dor, mas sim, reverenciar a verdadeira vida dentro do outro.

Assim sendo, quando ambos possuem esta compreensão da vida, quando ambos reconhecem que cada um tem o direito a felicidade, quando ambos reconhecem que não se pode passar por cima do outro em nome da própria felicidade, mas sim, deixar fluir naturalmente esta certeza, então sim, o verdadeiro amor atinge a sua plenitude.
Ele por si mesmo induz os caminhos para a sua realização, pois o que o move é a verdade, o respeito pelo ser humano em primeiro lugar.

O amor quando é verdadeiro, existe sim o desejo carnal, intenso, forte, mútuo, mas este não pode e nem deve estar acima dos desejos da alma. De permanecer ao lado, mesmo sabendo das manias e defeitos do outro, e tentar moldar o outro à sua vontade, isto é apego!

O amor é doce e sereno, não importa o seu tipo de relacionamento, desde que este seja leve e respeitoso, respeitando o Ser dentro de si e no outro verdadeiramente.

Somos um Todo, e estamos nos caminhos do crescimento pessoal, e neste crescimento, não se pode isolar as pessoas que fazem parte de sua vida, mas sim, crescer junto delas, respeitando e amando de coração e alma pura.
Apenas... Ser e Sentir, não se resume em somente alimentar os próprios desejos e vontades, mas sim, respeitar o Todo que envolve cada sentimento, cada pensamento, para então sim, dentro da Ordem Divina, tudo fluir naturalmente.

O amor é livre como um pássaro, ele dá asas para realizar seus sonhos, respeita o outro verdadeiramente.
E dá raízes, com um lugar para voltar, mesmo depois de tempestades no caminho... Sem mágoas, sem dor, sem julgamentos...

O amor é o que ele faz!

"O verdadeiro amor não se conhece por aquilo que exige, mas por aquilo que oferece"!

O amor ama e ponto!



Muito obrigada


Um beijo


Gênice.




4 comentários:

fast loan disse...

Oh my.. this is the best blog.


fast loan

Arlete Felfeli disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Arlete Felfeli disse...

Oi, Gênice.
Que maravilhoso texto!
"..."O verdadeiro amor não se conhece por aquilo que exige, mas por aquilo que oferece"!
O amor ama e ponto!"
"O Amor é a única coisa que cresce a medida que se reparte - Saint Exupére..."
Não há mais nada a dizer...
Só isso: Obrigada por esta mensagem.
Parabéns!!!
Não me canso de ler seus textos!
Obrigada, Gênice
Beijo no seu coração que fala de amor como poucos!
BYE
Arlete Felfeli
PS: Eu apaguei e escrevi a frase de Saint exupère que faltava, rs,rs,rs... Desculpe-me, ok? Mas ficaria errado, rs,rs,rs...BJS...BYE...Lé !

Mariangela disse...

Ambos...

Essa é a palavra.

Muito obrigada.